Confira as nossas newsletters Galeria de vídeos

Cotação

0 items

Busca no site

Notícias

segunda-feira, 11 de janeiro de 2021

ES 2021: Wi-Fi 6E vira realidade

A CES 2021 começou e uma coisa já ficou clara: este é o ano do Wi-Fi 6E. Após algum tempo de promessas, o novo protocolo começou a dar as caras nos roteadores com lançamento programado para o restante do ano e deve se tornar o padrão do mercado.

Para quem não está familiarizado, o Wi-Fi 6E é um novo e importante salto na tecnologia do Wi-Fi, que traz uma nova frequência para o padrão, que deve oferecer mais estabilidade e desempenho de conexão. É a primeira vez em duas décadas que o Wi-Fi ganha uma nova frequência, indo além das já tradicionais de 2,4 GHz e 5 GHz, com a adição do 6 GHz.

Com a chegada da CES, começaram a se multiplicar os roteadores compatíveis. Duas das principais marcas do mercado, incluindo TP-Link e Netgear, já apresentaram seus modelos para 2021.

A TP-Link demonstrou o Archer AX96 and Archer AX206, ambos com Wi-Fi 6E, sendo que o primeiro alcança velocidades máximas de 7.800 Mbps, enquanto o segundo rompe a marca dos 10 Gbps.

A companhia também revelou novos roteadores mesh, que permitem ampliar a cobertura de Wi-Fi de uma casa criando uma rede de equipamentos interconectados, Deco X96 e Deco X76 Plus. O problema destes aparelhos é que eles usam a frequência de 6 GHz para se comunicarem entre si, então se o usuário tiver um celular (ou qualquer outro aparelho) compatível com Wi-Fi 6E, não poderá aproveitar o benefício da tecnologia e precisará conectá-lo às frequências antigas.

Já a Netgear revelou o Nighthawk RAXE500, um outro roteador de alto desempenho que é o primeiro da linha a utilizar o Wi-Fi 6E. Com suas três frequências, ele será capaz de sustentar velocidades máximas de até 10,8 Gbps, com o preço sugerido de US$ 600.

O que o Wi-Fi 6E traz?
O Olhar Digital já falou algumas vezes sobre as diferenças entre as frequências de 2,4 GHz e de 5 GHz no Wi-Fi, mas vale relembrar. Ondas de menor frequência têm alcance maior, mas as de maior frequência oferecem mais desempenho. Com 6 GHz, espera-se mais sustentação dos picos de velocidade, mas a distâncias menores.

Teoricamente, o limite de velocidade do Wi-Fi em 6 GHz não é diferente do 5 GHz: ambos podem alcançar 9,6 gigabits por segundo. No entanto, ela conta com uma vantagem grande em comparação com as outras frequências: a falta de congestionamento.

Se você mora em um prédio, já deve ter percebido quantas redes de Wi-Fi de vizinhos chegam ao seu apartamento. Todas essas redes, divididas entre 2,4 GHz e 5 GHz podem causar mais interferências, o que resulta em perda de qualidade de conexão e, consequentemente, velocidade.

No entanto, espera-se que os 6 GHz não percam desempenho mesmo quando a tecnologia se tornar comum, como resultado de um espectro mais amplo. Mais canais podem operar na frequência, permitindo que mais pessoas usem os 6 GHz sem causarem interferência.

Fonte: OLHAR DIGITAL

Voltar