Confira as nossas newsletters Galeria de vídeos

Cotação

0 items

Busca no site

Notícias

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2022

Pix bate recorde de aceitação e pode ultrapassar boleto

O índice de aceitação do Pix como forma de pagamento no e-commerce atingiu 64,4% em janeiro, um novo recorde para o sistema de transações instantâneas do Banco Central (BC). O resultado foi divulgado nesta terça-feira (8) pela consultoria Gmattos.

Vale notar que em janeiro de 2021, poucos meses após a ativação do serviço, essa taxa era de 16,9%. Caso o ritmo de crescimento seja mantido, há a possibilidade do Pix ultrapassar a aceitação do boleto bancário no comércio online já nos próximos meses.

Por ora, o Pix ocupa a terceira posição neste ranking, atrás do cartão de crédito (aceito em 98,3% do comércio online) e do boleto (aceito em 74,6% das lojas virtuais). O levantamento mais recente considera os dados de 59 lojas, que juntas respondem pela fatia de 85% do varejo eletrônico do Brasil.

Entretanto, segundo o cofundador e CEO da Gmattos, Gastão Mattos, o avanço do Pix não significa uma queda imediata na aceitação do boleto. "Percebemos que o boleto preenche um espaço necessário. Uma parte das pessoas fica à margem do consumo sem essa opção", disse. Tanto é que a taxa referente à modalidade de pagamento permaneceu estável ao longo de 2021.

O mesmo não pode ser dito do cartão de débito, que era aceito por 37,3% das empresas e caiu para 30,5% no mês passado. "O Pix está batendo o débito por sua usabilidade ser muito melhor no e-commerce", comentou Mattos.

Pix x boleto
A aceitação do Pix nas lojas on-line, segundo o executivo, pode alcançar o boleto até maio. "Já são 120 milhões de chaves habilitadas e esse é o principal assunto da indústria", emendou. Dentre as suas principais vantagens estão os custos mais baixos de adesão e a velocidade nas transações.

Apesar das facilidades, outros especialistas apontam que, considerando as diferenças regionais e sociais do Brasil, o uso do boleto ainda será relevante. Para Marcelo Martins, diretor da Associação Brasileira de Fintechs (ABFintech), será "um movimento de longo prazo" até o boleto começar a perder força.

Em relação à segurança, Mattos afirma que os casos de vazamento de chaves, apesar de negativos, não abalam a confiabilidade do Pix entre os consumidores - vale lembrar que na última semana, o BC informou um novo vazamento de dados, o terceiro nos últimos seis meses.

Dentre os fatores que podem ajudar a manter o seu crescimento, estão as novas funcionalidades que serão implementadas em breve, como a possibilidade do parcelamento de compras, por exemplo. Alguns lojistas também oferecem descontos para quem opta pelo pagamento instantâneo.

Fonte: OLHAR DIGITAL

Voltar